Nossa Senhora da Assunção e São José


Assim Vivemos

A vida da Carmelita

 Dois eixos conduzem a vida da carmelita: A  busca de um encontro com Deus e a vida comunitária; parecem realidades opostas entre si, mas na verdade não o são, estão muito ligadas entre si. Santa Teresa, seguindo a tradição originária do Carmelo, projetou uma vida voltada para Deus  em comunidade ou melhor dizendo uma comunidade com o fim principal de buscar a Deus. Ainda que situada no meio de uma cidade,  a comunidade procura viver o silêncio criando este espaço para Deus, buscado  intensamente por cada uma das irmãs; E que esta vida com Deus possa transbordar  no relacionamento mútuo. Por isso Santa Teresa quando  fala da oração começa por falar de três virtudes muito necessária para atingir a meta, são elas: o amor ao próximo, o desapego e  a humildade.

 

O encontro com  Deus na oração            

 Santa Teresa ensina que o conhecimento de Deus passa pelo conhecimento próprio. Não chegaremos a conhecer a Deus, se não conhecermos a nós mesmos. O conhecimento é algo positivo, só podemos apreciar o que conhecemos. Falando da grandeza da pessoa humana Santa Teresa escreve: “ Não seria grande ignorância, filhas minhas, que se perguntasse a uma pessoa quem é e ela não soubesse que foi seu pai, sua mãe e a terra em que nasceu? Se isso seria grande insensatez, muito maior, sem comparação, é a nossa quando não procuramos saber quem somos e só nos detemos  no corpo. Sabemos que a nossa alma existe apenas por alto, porque assim ouvimos dizer e porque assim nos diz a fé. Mas poucas vezes consideramos as riquezas existentes nessa alma, seu grande valor, quem nela habita; e assim, não damos importância a conservar sua formosura”.  Diz são João da Cruz: “Um só pensamento do homem vale mais que todo o  mundo.”

 Santa Teresa define a oração como “um trato de amizade estando muitas vezes as sós com quem  sabemos que nos ama”.