Nossa Senhora da Assunção e São José


67- CRIATIVIDADE PARA ORAR!

Livro da Vida 13, 12-13

 

Quero exprimir-me melhor, porque todas essas coisas de oração são custosas e, se não se tiver mestre, difíceis de entender. Por isso, embora eu queira ser breve - e bastaria tocar no assunto para que quem me mandou escrever, logo entendesse, minha pouca inteligência não me permite explicar em poucas palavras o que tanto precisa de boa explicação. Como sofri muito, compadeço-me de quem começa só com livros; porque eu me admiro ao ver como se compreende, neles, uma coisa que a experiência revela ser bem diferente.
Voltando ao que eu dizia, pensemos num passagem da Paixão - por exemplo, a do Senhor atado à coluna - e, com o intelecto, procuremos avaliar as grandes dores e o sofrimento que Sua Majestade teve ali tão só, e tantas outras coisas que um espírito esforçado pode perceber aí. Se se for instruído, então!… Esse é o modo de oração conveniente para todos, um caminho excelente e muito seguro até que o Senhor os leve a outras coisas sobrenaturais.
Digo “todos” porque há muitas almas que, em outras meditações, têm mais proveito do que na da Sagrada Paixão, porque, assim como há muitas moradas no céu, há muitos caminhos: algumas pessoas se beneficiam considerando-se no inferno, e outras, no céu; estas se afligem ao pensar no inferno, e outras, na morte. Algumas, se são ternas de coração, se cansam muito em pensar sempre na Paixão, alegrando-se e aproveitando ao considerarem o poder e a grandeza de Deus nas criaturas, bem como o amor que Ele teve por nós, manifesto em todas as coisas. Todos esses modos são admiráveis, desde que não se deixem a Paixão e a vida de Cristo, que é de onde nos veio e vem todo o bem.

 

   “não se deixem a Paixão e a vida de Cristo, que é de onde nos veio e vem todo o bem”. Jesus de onde nos vem todo bem... com essa certeza no coração nosso pincel deslizará livre sobre a tela da nossa vida a ser pintada, não sob esquemas de livros como nossa Sta Madre escreve, mas na companhia do amigo, irmão e mestre Frei Ivo! Nossa prece e gratidão ao Frei!

 

É muito comum ouvirmos pessoas que nos dizem: “Frei, eu gostaria muito de orar, de rezar. Porém, eu já não sei mais como rezar. Por vezes, começo a rezar e, quando me dou conta, já passou um tempo enorme que eu estou ali, mas que de verdade, não estou rezando, pois meu pensamento e minha imaginação me levam prá bem longe daquele momento e daquela intenção que eu tinha me proposto no início daquela oração”.

Acredito que esta seja uma tentação muito comum na vida de todas as pessoas.

Quantas vezes, deixamos a oração de lado, pois pensamos: “Não vale a pena ficar aqui perdendo tempo. Melhor é eu ir fazer o bem a alguém... Melhor é eu ir fazer algum ato de caridade,do que ficar aqui divagando e “viajando” em pensamentos que não tem nada ver com a oração que eu desejo fazer e viver.

Muitas vezes, muitas vezes mesmo, a gente tem que ser esperto na oração para não desanimar.

Com o poder do mal,a gente nunca pode e nunca deve brigar! Pois na briga, você sempre vai sair perdendo. Com o poder do mal, com o tentador, você tem que agir com simplicidade e com esperteza.

E o que é agir com simplicidade e com esperteza?

É você saber perseverar, mesmo que pareça que você está perdendo o seu tempo naquele momento em que você se coloca em atitude de oração.

Se você está rezando e, de repente, você se dá conta que já passou um bom tempo e você não conseguiu se manter fixo e atento naquilo a que você se propôs, nada de desânimo e, muito menos, de abandono.

Simplesmente, combata o tentador e o inimigo dizendo com simplicidade e confiança: “Deus sabe que eu estou aqui por causa d”Ele. Deus sabe que O amo. E, portanto, se Deus sabe de tudo isso e Ele me ama, eu não posso desanimar por que as coisas não estão acontecendo do jeito que eu quero ou que eu me planejei. Vou continuar aqui, sabendo que Deus me acolhe, me ama e me quer bem, não porque eu estou tendo sucesso nos meus propósitos, mas porque Ele é bondade e misericórdia na minha vida”.

Criatividade é uma palavra muito importante na nossa vida de oração.

Criatividade é a gente, com toda a humildade, olhar para Deus e dizer: “Meu Deus, tu sabes o quanto eu gostaria de Te amar. Mas, eu sinto que não estou conseguindo isso com minhas forças. Por isso, eu me entrego a Ti, para que esta minha vontade se transforme em intimidade contigo e, mesmo que pareça que esteja perdendo o meu tempo, que eu possa descobrir que isso que eu estou vivendo não é tempo perdido, mas é tempo vivido por Ti, porque eu te amo”.

Quando Jesus pergunta para Pedro, pela terceira vez, “Tu me amas”?

O evangelho nos diz que Pedro ficou triste, pois parecia que Jesus não estava acreditando em Pedro.

Mas, após a terceira vez que Jesus lhe pergunta: “Pedro, tu me amas”? Pedro responde: “Senhor, tu sabes tudo... Tudo sabes que eu te traí... Tu sabes que eu fui um covarde, te negando vergonhosamente... Tu sabes que eu sou um pobre pecador... Mas, tu sabes que eu te amo...”

Naquele momento, Pedro tem a humildade e a confiança de se jogar no amor de Deus.

 

 

Isso é ter criatividade na oração.

É saber não medir os frutos da minha oração pelo sucesso que eu alcanço naquilo que eu estou fazendo. É saber viver a oração numa atitude de abandono e de entrega, sempre sabendo que na oração eu não devo me preocupar em como estou naquele momento, mas sim, sempre ter consciência de que na oração o mais importante de tudo é saber de que eu estou ali, naquele momento e naquele lugar, pura e simplesmente por causa de Deus.

Na verdade, na oração,eu tenho que ter consciência de que tudo o que eu realizo com fé, seja no real e ou no virtual, tudo é válido.

Pegue o pincel e retrate na tela de sua vida, esta linda imagem de alguém que está ali, aos pés do Senhor, muito mais do que falando, apenas escutando e contemplando o que o Senhor está lhe dizendo.

Ter esta atitude, é ter criatividade na Oração!

Frei Ivo Bortoluz OCD 


                                                                    Vamos rezar com as Irmãs...
 

                                                                         

Ó Santa Teresa de Deus amada,
grande amiga do Senhor, dá-nos sede de Deus...      

Ó Deus meditando na verdade dessas palavras de Santa Teresa: "Como sofri muito, compadeço-me de quem começa só com livros; porque eu me admiro ao ver como se compreende, neles, uma coisa que a experiência revela ser bem diferente." Concede-me pela força da Ressurreição de Jesus rezar hoje e sempre com essas palavras e esses sentimentos, para hoje e sempre ser um testemunho vivo de Teu amor: “Meu Deus, tu sabes o quanto eu gostaria de Te amar. Mas, eu sinto que não estou conseguindo isso com minhas forças. Por isso, eu me entrego a Ti, para que esta minha vontade se transforme em intimidade contigo e, mesmo que pareça que esteja perdendo o meu tempo, que eu possa descobrir que isso que eu estou vivendo não é tempo perdido, mas é tempo vivido por Ti, porque eu te amo”
Frei Ivo

Neste mês de maio dedicado a Noss Senhora, confiemos nossa vida e intenções.