Nossa Senhora da Assunção e São José


60 - A ARTE DO DISCERNIMENTO

Livro da Vida 13, 3

 

 Antigamente, eu me lembrava com freqüência do que São Paulo disse: Em Deus tudo se pode. Eu estava bem convencida de que, por mim, nada podia fazer. Isso muito me valeu, assim como as palavras de Santo Agostinho: Dai-me o que me ordenais e ordenai-me o que quiserdes. Eu pensava muito que, embora depois tivesse medo, São Pedro nada perdera por se lançar ao mar. Essas determinações logo no começo são excelentes. Nesse primeiro grau de oração, é preciso caminhar com lentidão e prudência, seguindo o que um mestre disser. Mas é bom tomar cuidado para que o confessor não ensine a andar como um sapo, nem treine a alma para só caçar lagartixas. É preciso ter sempre a humildade diante dos olhos para entender que essas forças não vêm de nós.

 

"Precisamos, sim, ter a ousadia de saber olhar um pouco além daquilo que vemos diante de nós".
Com esse olhar, com certeza, nosso pincel seguirá veloz, seguro e criativo. Partindo dos conselhos e dicas do Frei Ivo, o discernimento se apresenta a nós como a forte luz a iluminar nossos olhos para alcançar o que ainda não vemos. Mãos à obra!

 

                  O dicionário nos diz que discernimento é “capacidade de avaliar as coisas com bom senso e com clareza.”
Veja o que Santa Teresa nos diz no texto acima: “Mas é bom tomar cuidado para que o confessor não ensine a andar como um sapo, nem treine a alma para só caçar lagartixas.”
Na verdade, é maravilhoso escutarmos nossa Santa falar desse jeito, num contexto onde a mulher não tinha direitos e onde era até mesmo proibida de falar. Teresa, na sua imensa capacidade intuitiva, não teme em escrever aquilo que ela sente ser importante para alguém que quer caminhar verdadeiramente, nesta via da oração. Teresa não teme em, quem sabe, ter que “comprar briga” com alguns homens confessores e até teólogos, ao fazer essa afirmação.
Aproveitando de uma já conhecida metáfora, acredito que a gente possa concluir que Teresa de Jesus nos quer dizer: “Você não nasceu para ser galinha. Você nasceu para ser águia”. 
E mesmo que alguém lhe diga que você deve ser galinha, não fique aí ciscando no meio da terra e da sujeira. 
Saiba fazer o discernimento e saiba avaliar tudo com bom senso, para ser águia que alce vôo para lugares muito mais altos.”

 

 


“Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus.
Mas, de repente, houve pessoas que nos fizeram pensar como galinhas.
E muitos de nós,  ainda acham que somos efetivamente galinhas.
Mas nós somos águias.
Por isso, abramos as asas e voemos.
Voemos como as águias.
Jamais nos contentemos com os grãos que nos jogam aos pés para ciscar.”
Quando soubermos abraçar esta idéia em toda a nossa vida, então sim, 
nunca iremos nos acomodar dentro de um “ciscar”; 
nunca iremos nos contentar em parar na cansativa  monotonia da “mesmice” de sempre; 
nunca iremos ceder a tentação de pensar que não somos capazes.
Precisamos, sim, ter a ousadia de saber olhar um pouco além daquilo que vemos diante de nós.

 

 


Precisamos ter a ousadia de saber nos “arriscar” e não ficarmos presos a certas seguranças que  nos escravizam na tristeza de nos contentarmos em sermos e vivermos como galinhas.
Precisar ter a ousadia de sabermos sonhar com o ideal. Mesmo que o ideal nunca seja alcançável, precisamos perseguir este ideal. 
Como diz o Papa Francisco “nunca deixem de sonhar, mesmo que alguns destes sonhos,  nunca cheguem a se concretizar.”

 

 


Sempre com muito discernimento, sinta a alegria de descobrir que você nasceu para realidades muito maiores e que você não pode se acomodar naquilo que disseram ou dizem para você. 
Você precisa descobrir que nasceu para ser águia que saiba voar e voar muito alto.
Não se contente em ser aquilo que, quem sabe, outros lhe colocaram na cabeça e no coração: que você é galinha e que deve se contentar em ficar ciscando no meio da sujeira.
Pegue a caneta e retrate na tela da sua vida, aquilo que você é ou que deveria ser: uma águia em pleno vôo, buscando lugares sempre maiores e mais profundos e descobrindo que, nestes vôos,  você estará vivendo a vida com muito mais alegria e com muito sentido.

Frei Ivo Bortoluz OCD

 


                                                                    Vamos rezar com as Irmãs...
 

                                                                         

Ó Santa Teresa de Deus amada,
grande amiga do Senhor, dá-nos sede de Deus...

 

O dicionário nos diz que discernimento é
“capacidade de avaliar as coisas com bom senso e com clareza.” 
“É preciso ter sempre a humildade diante dos olhos
para entender que essas forças não vêm de nós”.
Vinde em nosso auxílio Senhor para acolhermos essas palavras e vivenciá-las no nosso dia a dia, para que com bom senso, clareza e humildade, sejamos capazes de discernir, confiantes na Vossa Graça, tudo que se apresente a nossos olhos. Amém.