Nossa Senhora da Assunção e São José


46 - REZAR É SABER ESTAR LÁ!

Livro da Vida 11, 11

 

Esses trabalhos têm seu valor, eu o sei, pois os fiz durante muitos anos (quando eu tirava uma gota de água desse poço bendito, pensava que Deus me concedia uma graça), sendo necessário, para vencê-los, mais coragem do que para muitos outros trabalhos do mundo. Mas vi com clareza que Deus não deixa de dar grande recompensa, ainda nesta vida; pois é certo que, em uma hora na qual o Senhor me permite rejubilar-me nele, considero pagas todas as angústias por que, para perseverar na oração, passei.
Creio que o Senhor deseja dar, muitas vezes no princípio e outras no final, esses tormentos e muitas outras tentações que aparecem, para testar os que O amam e saber se poderão beber o cálice e ajudá-Lo a levar a cruz, antes de lhes oferecer grandes tesouros. E é para o nosso bem que Sua Majestade deseja levar-nos dessa maneira para que compreendamos quão pou¬co somos; porque as graças que depois vêm têm tamanha dignidade que Ele, antes de dá-las, deseja que, pela experiência, percebamos antes a nossa insignificância, a fim de que não aconteça conosco o que sucedeu a Lúcifer.

 

“Na caminhada que fazemos em busca de uma vida de oração,
sempre precisamos perseverar”. Sempre com o pincel na mão, com as dicas e orientações do Frei Ivo, a pintura de nossa vida vai-sedelineando na paz e na alegria.

 

      

Lendo o texto de Santa Teresa, acima colocado, veio-me a lembrança o que falava o saudoso escritor, médico e psicólogo, Pe João Mohana, quando falando sobre as crises que se pode enfrentar na oração, ele dizia: “Na vida, quando você não tem mais vontade de rezar, só existe uma saída: começar a rezar.”

 

 

Também aqui, vale recordar o saudoso arcebispo Dom Helder Câmara que dizia: “É graça divina começar bem. Graça maior, persistir na caminhada certa. Mas, graça das graças, é não desistir nunca.”

 

 

É interessante de termos presente que nos evangelhos Jesus não diz: “Aquele que nunca desanimar, vai ser salvo... aquele que nunca pecar, vai ser salvo... aquele que nunca ficar triste, vai ser salvo...” Mas, Jesus é categórico ao afirmar: “Aquele que perseverar até o fim, este vai ser salvo!” (Mt 24,13) 
Tudo isso nos mostra que na caminhada que fazemos em busca de uma vida de oração, sempre precisamos perseverar.

                       

 

Nem sempre é fácil esta caminhada. Pelo contrário, muitas vezes esta caminhada se torna dura, difícil, embaraçosa e por vezes, bate na gente, a terrível tentação de desanimar.
Porém, quando esta tentação bate na nossa caminhada, precisamos escutar o Senhor nos dizendo: “Aquele que perseverar até o fim, este é que será salvo.”
E para podermos perseverar, precisamos aprender esta difícil arte de “saber estar lá.”

 

 

 

“Saber estar lá” é a gente saber que aquele tempo que dedicamos para a oração, é um tempo sagrado e que o importante na nossa oração é de sabermos “estar lá,”por causa d’Ele. Por causa d’Aquele que nos ama. Por causa do amor que temos para com o Amado.

 

 

Quando conseguimos viver esta arte de “saber estar lá”, então deixamos de medir a eficácia de nossa oração pelos “frutos” que dela conseguimos obter.
Quando conseguimos viver esta arte de “saber estar lá”, então não vamos medir a oração por aquilo que sentimos ou não sentimos naquele momento.
Simplesmente, “estamos lá”, quer estejamos nos sentindo maravilhosamente bem, repletos de consolos e de “mimos” com os quais Deus nos presenteia.
Ou, simplesmente “estamos lá”, quer estejamos nos sentindo numa aridez total, numa escuridão que não nos permite ver nada claro, numa solidão que parece nos esvaziar cada vez mais.

 

 

Descobrir esta arte de “saber estar lá” é o segredo para viver aquilo que Teresa de Jesus tanto nos pede: “Ter uma determinada determinação!”
Quem tem uma “determinada determinação” não faz as coisas porque sente aquele “gostinho gostoso do prazer!
Quem tem “determinada determinação”, tudo faz porque sabe que para Deus o importante é eu demonstrar o meu amor, simplesmente,por “saber estar lá!”

                       

 

O Papa Francisco nos diz que “os evangelhos não nos falam se Maria, ao pé da cruz, estava ou não estava chorando. Os evangelho nos falam que Maria estava lá.” Quem sabe até, diria eu, não entendendo muito tudo o que estava acontecendo. Sofrendo terrívelmente. Numa solidão que a feria profundamente. Mas, Ela estava lá!

                       

 

Olhando para Maria, pegue o pincel de sua vida, e coloque numa tela esta imagem maravilhosa, que apresenta esta linda cena:você está lá, bem junto de Deus, não importando como você está e sim, importando que você está lá!

 

Ivo Bortoluz OCD

 


                                                                    Vamos rezar com as Irmãs...
 

                                                                         

Ó Santa Teresa caminhai conosco 
para daí seguirmos contigo...

“Na caminhada que fazemos em busca de uma vida de oração,
sempre precisamos perseverar”. 
Senhor concede-nos a graça “de estar lá, de saber estar lá”. 
“E é para o nosso bem que Sua Ma­­jestade deseja levar-nos dessa maneira
para que compreendamos quão pou­co somos;
porque as graças que depois vêm têm tamanha dignidade que Ele,
antes de dá-las, deseja que, pela experiência,
percebamos antes a nossa in­significância...
” Senhor de todo bem e Nosso Senhor
concede-nos fixar continuamente o olhar e o coração
em Vós Beleza Eterna e Infinita. Amém.