Nossa Senhora da Assunção e São José


21 - Pintando nossa vida com Teresa... Deus sabe quem eu sou!

Livro da Vida 8, 10-11

Eis nossa linha-guia teresiana:
§ Decisão § Posição §Atitude

10. Para que vejam Sua misericórdia e o grande bem que foi para mim não ter deixado a oração e lição, direi aqui - pois importa tanto que isto se entenda - a bateria que faz o demónio a uma alma, a fim de a ganhar, e o artifício e misericórdia com que o Senhor procura chamá-la de novo a Si, e se guardem dos perigos de que não me guardei. E sobretudo, por amor de Nosso Senhor e pelo grande amor com que nos anda atraindo para que voltemos a Ele, peço que se guardem das ocasiões; uma vez metidas nelas, não há que fiar quando tantos inimigos nos combatem e tantas fraquezas há em nós para nos defendermos.

11. Quisera eu saber descrever o cativeiro em que, nestes tempos, trazia a minha alma. Bem entendia eu que estava cativa, mas não acabava de entenderem quê, nem podia de todo crer que coisas que os confessores não me agravavam tanto, fossem tão más como eu o sentia na minha alma. Disse-me um, indo eu a ele com escrúpulos, que embora tivesse subida contemplação, não havia inconveniente em semelhantes ocasiões e tratos.

 

Não estamos sós, com nosso bom guia Frei Ivo e com um bom pincel ... caminhemos!

 

Existe um ditado popular que diz mais ou menos o seguinte: “A pior das mentiras, são as mentiras que a gente conta para a gente mesmo!”

Recordei deste ditado popular lendo e meditando o texto acima apresentado por Santa Teresa de Jesus, onde ela nos diz que as pessoas e, até mesmo seus confessores, achavam que ela já estava numa alta perfeição de unidade com Deus, por verem que ela fazia isso ou aquilo em relação a Deus.

No entanto, afirma Teresa, eu sabia muito bem quem eu era e Deus também sabia quem eu era.

É tão bonito e tão importante a gente ter esta consciência de saber quem a gente é diante da gente mesmo e diante de Deus.

Deus me conhece e sabe muito bem quem eu sou. Ele me conhece e sabe das minhas incoerências e pecados. Ele me conhece e sabe da minha pequenez e das minhas limitações.

E se Deus me conhece, é fundamental que eu saiba ser verdadeiro e transparente diante de Deus. Ser verdadeiro e transparente, não é ser perfeito, não é não ter pecados, não é estar prontinho. Não. Ser verdadeiro e transparente diante de Deus é eu ter consciência de quem eu sou de verdade no mais profundo de mim mesmo.


                                                      

Quando a gente desenvolve esta consciência, então sim, a gente acaba vivendo em paz, com tranqüilidade e sem medo de que descubram que eu não sou tudo aquilo que os outros dizem que eu sou.Veja como isso é importante!

Se alguém elogia você e coloca você nas alturas, você até pode se sentir contente e feliz com este elogio. Porém, no fundo você também deve pensar: se essa pessoa que me elogiou tanto, me conhecesse um pouco mais profundamente, ela iria ver quantas limitações existem em mim. E se essa pessoa me conhecesse mais profundamente, quem sabe ela não me elogiasse a aplaudisse do jeito que o faz agora!


                                                    

Claro que eu tenho que ficar feliz com aquilo de bom que os outros vêem em mim, nas minhas atitudes, na minha vida, no meu jeito de ser e de viver. Claro que sim! Se eu não ficasse feliz com isso, quem sabe eu estivesse cultivando uma falsa humildade.

Porém, dentro da felicidade que eu sinto com os elogios recebidos das pessoas, na minha oração, eu preciso chegar diante de Deus e com toda a humildade e sinceridade dizer a Ele: “Meus Deus, todos os elogios e aplausos que deram a mim, tudo é para Ti, pois eu estou sendo um simples, pobre e pequeno instrumento Teu junto das pessoas.


                                                   

Nosso querido e saudoso Dom Helder Câmara dizia: “Quando alguém me aplaude, quando alguém me elogia, quando alguém me ovaciona depois de eu ter falado ou feito alguma coisa, eu me sinto como Jesus entrando em Jerusalém!

Só que eu, diz Dom Helder, eu sou apenas o “burrinho” que está carregando Jesus! Se eu achasse que todos os aplausos e elogios fossem para mim, então sim, eu seria um “burrinho” mesmo!”

Deus sabe muito bem quem eu sou!

Eu sei muito bem quem eu sou!

Não fique cultivando uma imagem que os outros fazem de você e que, de verdade, não corresponde lá muito bem ao que você é. Tenha a humildade e a disponibilidade de colocar tudo o que Deus deu a você, em benefício dos outros. Quanto mais você souber repartir com simplicidade, mais alegria você vai acabar encontrando na sua vida e na sua missão.

Olhando para Santa Teresa e vendo o seu jeito de viver, peça que ela ajude você a ser sempre um “pincel” nas mãos de Deus. Um “pincel” que é importante, na medida em que se deixa “usar” por Deus e tem consciência de que é apenas um “pincel” nas mãos d’Aquele que vai pintar todo o quadro de sua existência.

Frei Ivo Bortoluz OCD

 


                                                                    Vamos rezar com as Irmãs...
 

                                                                         

Ó Santa Teresa caminhai conosco para daí
seguirmos contigo...

Senhor Jesus assisti-nos com a vossa graça, fazei-nos viver sobre as verdades transmitidas por Santa Teresa e iluminadas pelas palavras do Frei Ivo. Verdades que nos recordam do real valor e verdadeira felicidade de saber quem eu sou, sabendo que Deus sabe e me ama como eu sou, buscando ser melhor por causa do Bem Maior.

Amém.