Nossa Senhora da Assunção e São José


20 - Pintando nossa vida com Teresa... Uma Comunicação de Amor!

Livro da Vida 8, 8-9

Eis nossa linha-guia teresiana:
§ Decisão § Posição §Atitude

8. Pois se, a coisa tão ruim como eu, tanto tempo sofreu o Senhor-e vêse claramente que por aqui se remediaram todos os meus males - que pessoa, por má que seja, poderá temer? Porque por muito que o seja, não o será tantos anos depois de ter recebido tantas mercês do Senhor. E, quem poderá desconfiar, se a mim tanto me suportou, só porque desejava e procurava algum lugar e tempo para que estivesse comigo, e isto algumas vezes sem vontade, e só pela grande força que eu me fazia, ou me fazia o mesmo Senhor? Pois, se aos que não O servem, mas O ofendem, lhes vai tão bem a oração e lhes é tão necessária, e se ninguém pode com verdade encontrar dano que ela lhe possa causar, que seja maior que o de não a ter, os que servem a Deus e O querem servir, porque a hão-de deixar? Por certo que, se não é para passar com mais trabalho os trabalhos da vida, eu não o posso entender; ou então para cerrar a Deus a porta, a fim de que por ela não lhes dê contento. Em verdade lhes tenho lástima, pois à sua custa servem a Deus. Aos que tratam de oração, o mesmo Senhor lhes paga, pois, por um pouco de trabalho dá gosto para que com ele se passem os trabalhos.

9. Porque destes gostos que o Senhor dá aos que perseveram na oração muito se tratará mais adiante, nada direi aqui; só digo que para estas mercês tão grandes que a mim me tem feito, a porta é a oração. Fechada esta, não sei como as fará, porque, embora queira entrar a deleitar-se com uma alma e cumulá-la de bens, não terá por onde, pois a quer só e limpa e com grande vontade de receber Seus dons. Se Lhe pomos muitos tropeços e não fazemos nada para os tirar, como há-de vir a nós? E queremos que nos faça Deus grandes mercês!

 

Sob a direção do Frei Ivo vamos tomar nossos “Pincéis da Oração” e se aventurar na pintura de nossa vida...

 

Falar com Deus... Conversar com Deus... Dialogar com Deus... Manter contato com Deus... Contemplar a Deus... Descobrir a Deus...

Use a definição que você quiser. Qualquer definição que você escolher para dizer o que é a Oração, sempre irá mostrar e revelar uma verdade: todos nós precisamos da Oração para podermos ser felizes.

Mais uma vez, olhe de que modo humilde, maravilhoso e cativante, Teresa de Jesus se expressa a esse respeito, quando escreve sobre a importância e a necessidade da Oração:

”Se para os que não O servem, mas O ofendem, a oração faz tão bem e é tão necessária, quem poderia objetar que não há maior dano para os que servem a Deus e O querem servir, do que deixar de fazê-la? Com certeza não posso entender que as pessoas passem com mais dores pelos sofrimentos da vida ao fecharem para Deus a porta através da qual Ele lhes daria a verdadeira felicidade.


                                                           

Nossa santa faz uma declaração simples e comovente quando diz: “Digo apenas que a oração foi a porta que me levou às grandes graças que recebi; se a fecharmos, não sei como Ele as poderá conceder.”

Quem sabe, para perseverarmos na oração, precisemos redescobrir o caminho da verdadeira oração. Muitas vezes, o desânimo bate na nossa vida de oração, porque não sabemos rezar verdadeiramente. Muitas vezes, nossa oração parece querer reduzir-se a um encontro com Deus, para poder descobrir, sentir e alcançar o amor de Deus. E a verdadeira oração não pode reduzir-se a isso. Se nossa oração se reduzir a isso, nunca iremos rezar verdadeiramente, pois a oração sempre deve nos conduzir a Deus e aos outros.


                                                   

Veja como, de uma forma bem clara e objetiva, o Papa Francisco apresenta isso quando diz:

“Se não conseguirmos sair de nós mesmos rumo ao irmão necessitado, rumo ao doente, ao ignorante, ao pobre, ao explorado, se não conseguirmos sair de nós mesmos rumo àquelas chagas, jamais aprenderemos a liberdade que nos leva à outra saída de nós mesmos, rumo às chagas de Jesus. Existem duas saídas de nós mesmos: uma em direção às chagas de Jesus, a outra em direção às chagas dos nossos irmãos e irmãs. E esse é o caminho que Jesus quer em nossa oração.”


                                               


A verdadeira oração sempre faz com que a gente saia da gente mesmo.

A verdadeira oração, nunca “casa” com egoísmo e individualismo.

A verdadeira oração, nunca nos isola num fechamento que não se comunica.

A verdadeira oração, sempre nos leva a ser “discípulos,” sentados aos pés do Mestre e, ao mesmo tempo, sempre nos leva a ser “missionários” do Mestre.

Quando paramos numa oração onde falte uma destas duas coisas, então nossa oração se tornará rotineira, vazia, protocolar, legal.

Mas, será uma oração sem vida. Sem encontro de vida nova e sem ser geradora de vida. Acabará se tornando uma oração rotineira e com esta rotina, acabamos perdendo o encanto de orarmos a um Deus que sempre nos surpreende ao longo do nosso existir e viver.


                                              

Pegue o “pincel da oração” e procure retratar na tela de sua vida, uma linda paisagem, onde você consiga refletir a oração como caminho que leva você ao encontro de Deus e caminho que leva você ao encontro dos outros.

Frei Ivo Bortoluz OCD

 


                                                                    Vamos rezar com as Irmãs...
 

                                                                             

Ó Santa Teresa caminhai conosco para daí
seguirmos contigo...

Ó Deus,
Uma comunicação de Amor", eis a prece que nossos lábios proferem, emanando do coração nosso desejo sincero de viver as palavras de Teresa e por Vossa graça sair de nós mesmos, empreendendo a estrada que as chagas de Jesus abriram como “estrada missionária" na ajuda ao irmão.É o que pedimos e rogamos por intencessão de Santa Teresa de Jesus, nossa irmã e amiga.
Amém.