Nossa Senhora da Assunção e São José


A Proteção de São José

Neste mês de setembro dedicado á Palavra de Deus, queremos meditar sobre a proteção de São José e sua presença na vida da Igreja e de cada um de nós. Sejamos como Santa Teresa propagadores da devoção à  São José, confiemo-nos em sua proteção. Ele que tão bem cuidou de Jesus, também cuidará de nossas necessidades e pedidos. Que Ele interceda pela Santa Igreja, especialmente por nosso Santo Padre Francisco. 


O Papa João Paulo II escreveu na Exortação Apostólica Redemptoris Custos, que a Igreja do nosso tempo tem numerosos motivos para rezar e pedir a proteção de São José. É impossível enumerar quantos fiéis e Santos foram devotos de São José. Basta lembrar que até o final do século passado surgiram mais de duzentos Institutos de vida consagrada e Sociedades de vida apostólica que têm o nome de São José. São muitíssimas as Confrarias, as Associações, as Cidades, as Nações e as Dioceses que têm o nosso Santo como patrono. E o que dizer da devoção das famílias e das pessoas?

Sendo os Santos os nossos intercessores, mais eles estão unidos a Deus, mais as suas intercessões são eficazes, assim, o Patrocínio de São José só é inferior àquele da Mãe de Deus. Como disse João de Cartagena: “Certamente todos os santos são servos de Deus, mas a nenhum, senão São José, diz respeito àquelas palavras da Virgem: ‘Teu pai e eu ansiosos te procurávamos’. Se portanto Deus faz a vontade dos servos que o temem, quanto mais fará a vontade de José, ao qual ele escolheu como esposo de sua Mãe, seu pai legal e nutrício e sob a sua tutela e em sua casa transcorreu muitíssimos anos da infância e a vida de sua juventude”. 
Ainda João de Cartagena continua enfatizando o poder de intercessão de São José tendo a certeza de que Cristo em consideração ao que recebeu dele, não deixará de atender a sua intercessão em favor de seus devotos. A sua intercessão, pelo fato do liame forte que teve com ele na terra, jamais recebe uma negativa, e por isso esta supera a intercessão de qualquer outro Santo. 
Esta sua posição é também compartilhada por Santo Tomás, o qual afirma:

Diante de tão potente patrocínio é de supor em São José uma dignidade e mérito sem comparação, como condensa esta convicção a idéia descrita por Virgilius: Todos os Santos, dentre os quais os anjos e os serafins pedem ao Cristo Senhor suplicando, como servos, José ao contrário, com uma certa autoridade, pede como seu pai. Dado que enquanto estava na terra Cristo lhe obedecia, assim no céu, por nada esqueceu o que recebe dele, atendendo o seu pedido como ao pai, com filial afeto... E porque o Cristo Senhor nada lhe negará, qualquer que seja o seu pedido, José é justamente proclamado patrono e intercessor universal para todas as necessidades em que lhe recorremos .

Vale também aqui o testemunho de Santa Teresa: “Para alguns santos parece que Deus concede de socorrer-nos nesta ou naquela necessidade, enquanto que experimentei que ao glorioso São José estende o seu patrocínio sobre todos. Com isso o Senhor quer dar-nos entender que naquele modo em que era-lhe submisso na terra, onde ele como pai putativo mandava, da mesma forma, é agora no céu em fazer tudo o que lhe pede”.

Paulo VI afirma que “José é esta luz que difunde os seus raios benéficos na casa de Deus”, ou seja, na Igreja. Ele é a luz que ilumina com seu incomparável exemplo, aquilo que caracteriza o santo, através do seu serviço a Cristo e da sua disponibilidade por amor. Podemos afirmar que o exemplo de José e as lições que jorram de sua vida são uma escola para toda a Igreja, justamente porque a sua missão é única e grandiosa, afinal é a missão de cuidar do Filho de Deus, Rei do mundo; missão de guardar a virgindade e santidade de Maria; missão de cooperar, sendo chamado para participar do grande mistério escondido nos séculos, da encarnação divina do Filho de Deus e da salvação da humanidade. 

(Fonte: http://josefologia.blogspot.com)

São José, autêntico homem de fé, convida-nos a redescobrir a nossa relação filial com o Pai, a renovar a nossa fidelidade à oração, a escutar e responder com profundo discernimento à vontade de Deus. A Indulgência plenária é concedida a quem medite por pelo menos 30 minutos sobre o Pai-nosso, ou que participe de um retiro espiritual de pelo menos um dia que inclua uma meditação sobre São José;


 

Confiantes na proteção de São José, dirijamos-lhe nossa oração:
“Lembrai-vos ó puríssimo esposo da Virgem Maria, meu doce protetor São José, que jamais se ouviu dizer, que alguém tivesse invocado a vossa proteção, implorado o vosso socorro e não fosse por vós consolado. Com esta confiança venho a vossa presença, a vós fervorosamente me recomendo. Ó não desprezeis as minhas súplicas Pai adotivo do Redentor, mas dignai-vos de acolhê-las piedosamente. Amém.”